30 de mar de 2011

Meu querido KLIN

Geralmente crianças de 11 anos já sabem bem o que fazem e mal entendem a seriedade que é ser adulto. É uma época que as preocupações são as aulas de matemáticas, as regras do português e, hoje em dia, administrar bem o orkut.

Quando tinha esta idade eu ainda era uma menino bom na escola. Era muito obediente, tirava boas notas em Ensino Religioso (matéria a qual nunca existiu mas tinha no boletim) e não recebia os famosos "Entrevista com os pais". Aliás, sempre me chamou atenção este "Entrevista com os pais" que tinha no boletim caso você fosse bagunceiro...por anos meus pais sofreram com isso, coitados! Mas isto é uma outra história.

O fato é que algum dia da semana, na 5ª série, cantávamos o Hino Nacional. Era uma hora muito querida pois era sempre no fim das aulas. Cantar o Hino Nacional era sinal de que o almoço estava perto. Ficávamos em pé, enfileirados, cantávamos mais ou menos certo (como muitos até hoje) e íamos embora felizes e sorridentes.

Em particular lembro de uma vez que o aluno Eduvardo Grespan estava de tênis novo. Era um KLIN e naqueles anos era considerado tênis de crianças mais novas.

Os mais bagunceiros já estavam zuando com ele desde o início das aulas e eu só observando. Confesso que estava achando muito engraçado, pois o Eduvardo Grespan estava ficando sem jeito - verdade seja dita: este cara era um demônio...acho que até as professoras estavam gostando.

Quando deu sinal para cantarmos o Hino todos se levantaram e foram a frente do Eduardo. O Brundo, o chefe das humilhações com o Eduvardo, colocou as mãos para trás em posição de respeito e, enquanto cantava, ficava abrindo as mãos para que o Eduvardo pudesse ler os escritos à caneta na mão do Brundo: "KLIN KLIN KLIN KLIN".

Todo mundo morreu de rir porque é uma coisa completamente non sense fazer isso enquanto se cantava o Hino Nacional. Acho que o Brundo esperava que o tênis do Eduvardo fosse um M2000 ou um Dharma! Coitado.

---------

twitter: @rudycm

21 de mar de 2011

Dia dos namorados: sentimentalismo idio...

Dia dos namorados é uma data especial que não é nem um pouco especial pra mim. Como se sabe, é um data criada para intermediar a baixa que o comércio ($$$) tem entre dia das mães e dia dos pais. Eu tenho tanta raiva que tô escrevendo muito antes!

Mas, para as namoradas sentimentais, é uma data em que o amor precisa ser celebrado, palavras melosas ditas ao coração e beijo com gosto de paixão. É o dia que o humor está aflorado e os motéis estão lotados. As pizzarias até poderiam fazer suas massas em forma de coração pois seriam bem aceitas.

Eu gosto das ações de marketing e publicidade neste dia!
Celular entra em promoção e você ganha mais um se assinar um determinado plano. Ótimo. Jóias ficam com preços especiais - brinco com pedras verdes das águas do Pacífico pela bagatela de 5x de R$ 150,00. Muito bom. Combo calça + blusa por simples R$ 400,00. Perfeito.

Você pode pensar que minha opinião é injusta, infundada e quer me desqualificar. Tudo bem, eu entendo. Mas ainda não acabou! A espécie que eu mais odeio é o namorado que quer muito agradar sua amada e fica comprando absurdos em troca de S alguma E coisa X que bem O sabemos.
O pior é quando compra um urso de pelúcia gigante pra namorada. Putz...o que ela vai fazer com isso além de juntar pó? O pior é que se terminar o namoro vai dar maior trabalho pra jogar fora. E quando na maior pressa pra comprar algo de última hora chega um presente mal escolhido?

Insensível? Não. Polêmico? Talvez. Eu não acho que passar em branco é o certo mas penso que é preciso celebrar isso mais vezes ao ano sem ser influenciado pelo consumismo momentâneo e ser verdadeiro.

16 de mar de 2011

Como uma onda no mar

Salve-se quem puder!

A terra está tremendo, está vindo um puta onda gigante ao seu encontro e a fábrica de energia nuclear está vazando. A partir de agora o seu aquário vai ter água original para seu peixe, sua pele vai ficar descascando e seu olho vai mudar de cor por conta da radioatividade.

Se morar em sobrado, vai passar para térreo. Se for térreo vai passar a ser casa de mentirinha.

Seu cachorro, que já era manco, vai passar a usar as patas pra remar e seu canário vai sair voando com a gaiola e tudo de tanto medo! Não vai sobrar roupa, comida e nada do que você comprou com muito suor...mas as contas....vão embora também. É só ligar no credor e dizer que mais cedo ou mais tarde a onda chegará na empresa dele - com conta e tudo mais.

A Sandra Annenberg e o Evaristo vão ficar dizendo que o choro dos japoneses são contidos. O Fantástico vai ficar ligando para seus correspondentes que mostram cenas gravadas de um celular.

E no Brasil? Bom, no Brasil tem motorista que atropela ciclistas e diz que está dodói. Eitaaaaaa!

--------------

Recomendação das boas: O Cinegrafista Amador

Quer saber quando tem texto novo? Twitter: @rudycm

10 de mar de 2011

Moleque de barro

Como é gostoso fazer parte de um acontecimento memorável! Se você é escolhido por uma entidade para estar na hora certa e no dia exato, ótimo...viva intensamente o momento e não sinta vergonha de ser ridículo.

Baseado em fatos reais:

Quão divertido são os dias quando estou com minha nobre amada! Não importa o dia, a hora e o lugar, vai acontecer alguma coisa estranha. FATO!

Estávamos no sítio da família dela, friozinho, muito barro e comida boa no fogão. Ao acordar a mãe dela preparava pão na chapa e tomávamos leite enquanto olhávamos para as árvores que dançavam pra lá e pra cá com o ventinho matutino. Tudo muito dentro das conformidades...da normalidade.

Certa hora o pai dela nos convidou para ir até um sítio mais ou menos perto para comprar queijo fresco. E lá fomos de carro eu, ela, o pai e o irmão. Muito barro, pedras que surpreendem qualquer amortecedor...estávamos indo em direção ao fabricante de queijo mais conhecido daquele local.

Ao chegar encontramos até o Papa...menos sr. Urbano - o tal fabricante de queijo. Tudo bem! Havia pessoas dispostas a nos ajudar e que fariam o mesmo que o tal sr. Urbano...vender queijo.

Era um sítio legal, com barro, água e...um moleque. Pronto. Isso já basta para dar um ar da graça na história. O que você espera de um moleque que ao se encontrar com uma poça d'água marrom nem se dá ao trabalho de desviar? Que simplesmente pisa descalço como se o chão estivesse seco. Aliás, bem diferente de mim e da nobre amada que, a esta altura, estávamos nos esquivando de todas as poças.

Enfim, ao chegar no galpão onde os queijos são fabricados, obviamente sem a presença do sr. Urbano e sim por outra pessoa, a nossa felicidade foi contemplada com a presença de dois filhotes de pastor-alemão.

Eu adoro cães. De início deixei que eles me cheirassem. Enquanto eu fazia esta ação de 'amizade canina' meu sogro negociava o queijo e a nobre amada junto com seu irmão comentavam como os cães eram bonitinhos.

Na sequência veio o mesmo moleque com seus pés cheios de lama e, talvez para fazer graça, começou a atiçar os cãezinhos a ponto de deixá-los como se estivessem injetado adrenalina na veia. Como todos sabemos, qual a brincadeira preferidas de pequenos cães? Dar pequenas mordidas com seus dentes pequenos e afiados enquanto ficam pulando para rasgar sua camiseta.

O moleque tanto provocou que ficou assustado com o nível de adrenalina que gerou nos pequenos cães. Simplesmente começou a ficar desesperado e a compra do queijo estava indo por água abaixo por conta da sua gritaria de medo. Como ninguém o amparou no medo ele veio pra cima de mim (NÃO SEI O PORQUÊ) e agarrou na minha blusa de frio pela cintura. Enquanto os cães tentavam morder ele começou a girar em volta de mim com as mãos agarradas na minha blusa. Detalhe: Comecei a girar junto pois eu queria minha blusa intacta. Só que tudo tem um preço...ele, numa dessas 20 giradas em torno do mesmo eixo que demos, pisou no meu pé e me deixou sujo de lama.

Segundo o Michaelis MOLEQUE significa 'menino travesso'.

Cheguei a conclusão que não existe hora certa e dia certo. Existe moleque errado na hora certa!

--------------

Twitter: @rudycm

1 de mar de 2011

Olá, meu nome é Rudy.

Prazer! Meu nome é Rudy, sou publicitário, 28 anos e quero ser seu amigo. Leia meu perfil e veja quem eu sou. Gosto de strogonoff, não entendo de eletrônica e pratico boxe.

No aspecto identidade é óbvio dizer que cada um tem a sua. Cada um faz, age, pensa e diz o que quiser. Independente do acervo intelectual todos possuem opiniões e formas de expressão. A seletividade de opinião e gosto é muito diversificada. É por isso que com o passar do tempo descobrimos quem é para sempre na vida, quem está só de passagem e quem não merece nem um "Adicionar como amigo" no orkut, facebook etc!

Uma coisa que tem tomado uma grande importância é o seu "eu" nas mídas sociais. A moda agora é julgar o intelectual pelo orkut, twitter, facebook, blogger e por aí vai a imensa lista destes dispositivos eletrônicos.

Se você é legal, seu perfil é completo e cheio de informações. Se você é mais ou menos, quem sabe você coloca a cidade onde nasceu. Agora, se você é muito chato, vai colocar só a foto 3x4 e responder mensagens a cada 2 semanas. Esse é o método de se julgar 'pessoas eletrônicas'.

Comecei a perceber que tem pessoas que estão ficando eletrônicas. Elas agem como se o mundo fosse um facebook ou um orkut gigante! Não vou dar discurso de quem é contra pois sou a favor das redes sociais e as uso com frequência. Mas não estou me esquecendo de quem eu sou, de onde pertenço, de quem não preciso ficar adicionando como amigo e quem eu posso ficar conversando horas e horas sem medo de ser mal interpretado. Na boa, não gosto de gente com malícia eletrônica, mas isso é pra outro post.

------------------

Abaixo está um vídeo muito interessante com dados e informações sobre redes sociais. Existe celebridade com número de seguidores maior do que a população de alguns países. Vale a pena!



----------------

Eu aviso quando tem post novo e não cobro por este serviço. É só adicionar: @rudycm