30 de jun de 2010

Palmas para a modernidade


Pois bem, agora está na moda este negócio de modernidade.

A simplicidade do mundo globalizado não é nada simples. Mas útil.

A modernidade está aí para facilitar nossas vidas. Eu adoro pegar o controle da televisão e colocar no canal que quiser, pegar o controle do vídeo game e ligá-lo a distancia, acessar a internet pelo celular e curtir músicas no meu carro com pen drive lotado de mp3. Eu diria que está muito simples viver assim...eu não preciso mais fazer nada!

Televisão:Antes a gente tinha que levantar pra trocar o canal. Ou tentar dormir enquanto a preguiça impedia de desligar a televisão com a voz do Faustão.

Vídeo Game: Não precisa mais ficar assoprando as fitas para jogar Pitfall ou River Raid. É só colocar o DVD ou Blu-Ray e sair jogando ou, quem diria, assistir filme.

Celular: Não precisa comprar um cinto que aguente 5 kg para suportar o peso do seu aparelhinho.

Pen Drive: Pra quê ficar sofrendo na hora de organizar suas músicas em fitas? Pen drive - A melhor invenção para quem rouba os músicos.

Muito bonito é o discurso onde vários escritores escrevem sobre o tema "Viva Simples". Não sou contra! Eu não ligo muito para moda, meu celular não é novo e meu tênis costuma durar uns 4 ou 5 anos.

Enquanto alguns ficam neste papo de esquentar o jantar no fogão, eu pego meu prato e coloco por 45 no microondas! Fica ótimo...dá até pra fazer ovos quadrados agora! Incrível? O tempo anda e as boas invenções vem ao mundo.

Convenhamos...modernidade traz stress mas dá pra viver sem? Difícil.

E eu achando que o legal era usar meu celular no cinto. Não é justo!

29 de jun de 2010

Toca aquela!

Você acha que gosto musical é discutível? Eu nunca achei que isso fosse possível.

Alguns estilos de música são praticamente inconcebíveis para os meus ouvidos. Sou um pouco exigente como todo músico. Depois de muito rock e heavy metal passei a ouvir outras coisas também. Hoje eu posso estar andando de carro ouvindo Tears for Fears e vajar ouvindo Iron Maiden. Posso também escutar Ed Motta enquanto digito e cantar Dave Matthews Band no violão.

----------------------

Violão = Instrumento feito de madeira, seis cordas de nylon e, geralmente, uma pessoa metida a músico atrás. Acho que essa definição é perfeita.

----------------------

Sempre, mas sempre mesmo, vai ter uma pessoa com um violão em algum churrasco da sua vida. Esta pessoa vai pegar o violão no meio da festa e tentar arrancar alguns sons incríveis...tipo Legião Urbana, Jota Quest ou Capital Inicial!

Esta pessoa vai tocar seu repertório e a galera vai cantar junto.
Esta pessoa vai cantar e pedir para que você cante junto.
Esta pessoa vai parar uma hora para afinar o violão e, sem seguida, sair tocando freneticamente.
Esta pessoa vai se lembrar de algum sucesso do passo o qual você não lembrava mais.
Esta pessoa vai deixar de comer o quanto você come ou bebe pra te divertir.
Esta pessoa vai ficar com os dedos amassados de tanto ficar tocando.

E depois de tudo isso vai ter alguém pedindo uma emo music ou um sertanejo universitário.
Gosto é gosto? Ah, desculpe! Pode pedir mas não me obrigue a tocar.

23 de jun de 2010

É de pixaim!

Anos 60 - John Kennedy assume a presidência nos EUA e transição João Goulart/Jânio Quadros no Brasil, o feminismo começa a aparecer e foi criado o CHIP.

Anos 70 - Crises econômicas, grandes bandas (Pink Floyd, Yes, Genesis...) e seriados imbatíveis na questão tecnológica como: A Mulher Maravilha, O Incrível Hulk etc.

Anos 80 - Para muitos uma era de grandes descobertas, desenhos inesquecíveis e filmes absurdamente incríveis.

Anos 90 - Guerra do Golfo, popularização do computador e...M I C A R E T A.

O assunto é micareta...ou, carnaval fora de época. A minha sorte é que não sou da região norte/nordeste, onde este tipo de festa é predominante e intensa durante vários dias.
Eu sei que existe aquele velho papo de "Vamos lá, tem mulher que não acaba mais. É muito bom!"

Razão para não ir a uma micareta nº 1
Para início de conversa eu tenho namorada. Prefiro mil vezes me relacionar com uma só pessoa do que com outras tantas que já se esfregaram em outros 50 homens.

Razão para não ir a uma micareta nº 2
Não aceito ficar andando atrás de um caminhão cheio de gente gritando em cima.

Razão para não ir a uma micareta nº 3
Quanto é para o camarote vip? Mais que R$ 50,00?? Olha, eu tenho noção do preço e falei bem abaixo porque acho absurdo o preço deste tipo de festa.

Razão para não ir a uma micareta nº 4
Eu não sou eclético musicalmente. Tudo bem que ouço coisas variadas...mas ainda tem vários estilos de música que não gosto. E se fosse pra eu ir num lugar desses, iria para ouvir a música.

Razão para não ir a uma micareta nº 5
Chiclete com Banana lança CD? Se ainda lança CD, com certeza, tem as mesmas músicas. Só tocam as mesmas quando vejo reportagem ou vídeo de micareta

Vai gente bonita em micareta? Sim. É para gente com poder aquisitivo? Sim. Tem muita cerveja gelada? Sim. Eu sou contra você ir numa micareta? Não. Eu gosto de micareta? Não. Eu gosto das músicas de micareta? Não.

Muito ácido? Se vc gosta, ótimo! Enjoy and have fun.
Eu fico por aqui mesmo...ganhando a fama de mal chicletero! Vou xingar no twitter. Muito!

21 de jun de 2010

Na dúvida ligue pra alguém!

De vez em quando eu paro para pensar nas loucuras que não nos fazem mal. É impressionante e sempre descubro algo que, de uma forma ou de outra, nos atrapalham no caminhar das horas do dia - muito filosófico, correto? Vou tentar esclarecer. Não vou entrar no mérito daqueles que entendem o que é o Transtorno Obsessivo Compulsivo - o TOC. Minha vida é saudável e nada sei sobre este tema...só o básico, como todo brasileiro. Nada!

------------------

Na dúvida, ligue para o seu analista.

Quando entro no meu quarto, seja a hora que for, pego meu celular e fico olhando a tecla que dá acesso à internet. Confiro meus emails, recados e atualizações necessárias neste blog.
Cinco minutos depois eu pego meu celular e fico olhando a tecla que dá acesso à internet. Confiro meus emails, recados e atualizações necessárias neste blog.
Dez minutos depois faço o mesmo.
Quinze minutos depois eu vou pro computador e faço a mesma coisa. É brincadeira!

------------------

Na dúvida ligue para o seu eletricista.

Quando vou tomar banho é algo diferente também. Abro a torneira e a água começa a cair do chuveiro, naturalmente. Aí começo a voltar a torneira pois assim a água fica mais quente. Entro na água e como fica muito quente vou no regulador e diminuo a temperatura. Mas não penso em hora alguma liberar todo o fluxo de água e tomar banho com um "serumano" normal (é a fuvest formando cidadÕES).

------------------

Na dúvida ligue para o professor.

Chego em casa e vou subindo as escadas até qualquer cômodo que me interesse! O problema é que, às vezes, vou dando soco na parede como se eu estivesse numa luta...o pior é que eu não paro para dar soco. Estou andando e, de repente, minha mão vai em direção a parede. É como se eu não tivesse dado ordem, sabe? Simplesmente acontece. Preciso falar pro meu professor me deixar menos violento.

------------------

Embora tenha dito que faço estas coisas sem que me pertubem no caminhar do dia, os psicólogos e psiquiatras que tiverem contato com este texto podem ficar preocupados. Não vou ser um paciente que lhe dê muito retorno financeiro! Então...na dúvida ligue pro torpedão do Faustão! Ô loco meu...é brincadeiraaa!

Alguém aí tem transtornos leves?

18 de jun de 2010

Pô cara...foi falta!

É ano de Copa do Mundo!

Como um verdadeiro amante das lutas, sofro muito com o fato de ser homem e nada entender se o Corinthians foi rebaixado ou se o técnico do São Paulo ficou doente. Nada contra! Só que existe uma obrigação diretamente proporcional entre sua idade e seu conhecimento "futebolístico".

Quando eu tinha 15 anos jogava futebol com meus amigos...eu era bom! Eu tinha velocidade, garra, determinação e uma chuteira azul - presente dado pelo meu pai. Durou muito tempo essa minha onda de futebol, sabe? Eu costumava jogar controle com dois amigos meus nas tardes de sábado. Para você que não sabe o que é controle (depois o desentendido sou eu!) eu explico: É um tipo de jogo onde dois jogadores fazem embaixadas com a bola e precisa fazer gol antes que ela caia no chão. É bem legal! É divertido até a hora que entra um Zé Mané metido a Corinthiano ladrão e chuta a bola como se tivesse que quebrar os dentes do goleiro...

Depois deste parágrafo tão agradável, começa aqui minha enorme decepção com o futebol. Não é nada pessoal (até parece).

Fato 1: Hoje em dia é impossível jogar futebol apenas para brincar. Em determinado momento de uma partida entre amigos haverá um imbecil para apelar...seja porque errou o passe ou deixou de marcar gol. Aí começa o grande momento do esporte! Aquilo que era pra ser confraternização vira palavreado e empurrões com os ombros - como briga de criança de antigamente.

Fato 2: Mês passado estava em Campinas com minha amada. Até aí tudo bem...sem obrigações quanto ao futebol, afinal, ela não me pergunta coisas sobre os times. Estávamos saindo de um estacionamento quando o guardador de carros viu que minha placa era de Ribeirão Preto. Ele começou a acenar freneticamente pra mim enquanto apontava para um distintivo na camiseta dele. Horas depois fui entender que ele estava tentando dizer que estava com a camiseta do Comercial de Ribeirão Preto. Lembro que na hora eu fiz cara de "????".

Fato 3: Mês passado fui a um bar com uma blusa de frio que não era minha e, só pra lei de Murphy imperar, era do São Paulo. O garçom fez uma piada do tipo "Você está na final?". Eu fiquei naquele momento complicado tentando entender e logo falei "São Paulo né...". Ou seja, eu ainda preciso pagar o preço de ser homem, adulto e não saber sobre futebol. E o melhor, preciso dar respostas que enganem ou, simplesmente, não signifiquem nada.

Não é culpa dos outros minha decepção ter feito com que eu perdesse o interesse por este esporte. Caso você seja um desses que apelam durante o jogo, vamos marcar de jogar! Garanto que no primeiro grito eu arrebento isso que você chama de cara.

10 de jun de 2010

Terno masculino = pegadinha.

Glamour e elegância. Ingredientes necessários para pessoas requintadas que curtam uma noite de negócios/baladinha, gente bonita e muito perfume importado.

O fato é que o mundo não foi feito só de gente preparada para este tipo de vida. Pelo menos eu descobri que tenho mania de achar que coisa boa é festa onde tem coca em copinho de plástico e coxinha frita.

Dia de almoço em casa e meu pai me convida para uma palestra no Theatro Pedro II (sim, é com H) - Ribeirão Preto. Após ter me informado que era sobre negócios fiquei interessado. Assuntos do tipo "O males do homem", "A Saúde no séc. XXI" não chamariam minha atenção, definitivamente. E outra, para quem não conhece, o teatro é um espetáculo.

Eu, homem de negócios, me preparei muito bem para impressionar pessoas que tenham glamour e elegância. Peguei meu perfume importado e passei até no cabelo. Estava pronto para chegar arrasando fazendo cara de gente importante.
Após muito lutar por uma vaga em qualquer estacionamento ao redor, meu pai e eu nos dirigimos até o recinto. Chegando lá, com grande espanto, vi muita gente bonita, muito empresário e mulheres com roupas compradas especialmente para o evento. Como meu pai havia dito, o palestrante era muito influente e ia encher de gente importante. Dito e feito.

Já fiquei preparando os vocábulos mais complicados que conheço, as palavras mais difíceis e comecei a trabalhar uma respiração mais serena para demonstrar segurança. Aí está uma coisa importante onde pessoas importantes vagam - Segurança. Eu, menino acostumado com a violência e a praxe dos recintos onde vou, pensei que o Theatro estivesse preparadíssimo para assegurar ao máximo a integridade física dos participantes. Erro meu.

Ao chegar na entrada e me dirigir ao meu lugar, notei a vasta presença de homens com cara de mau e roupas formais pretas frente as escadas. Já fui me aproximando levantando os braços para que revistassem e pudesse me dirigir ao espetáculo. Mas, no instante entre a levantada do meu braço e meu pensamento "É um segurança, vou levantar meus braços para me revistar", o homem gentilmente estendeu as mãos para o meu pai e o cumprimentou. Sim sim...era simplesmente o presidente da fundação Theatro Pedro II cumprimentando meu pai e eu de braços pra cima esperando ele revistar. Fiquei feliz por meu pai ser conhecido. Fiquei feliz por estar no Theatro Pedro II. Fiquei feliz por assistir a palestra. Fiquei me sentindo um idiota com os braços pra cima.

Preciso me preparar melhor para estes lugares!! Mas está faltando segurança nos lugares públicos de Ribeirão Preto, é o que acho.

8 de jun de 2010

Francamente, sr. Inglês.


E desde que me conheço como profissional de comunicação, preciso colocar meu inglês em prática e nortear meu pensamento crítico em compreender que a globalização trouxe o estrangeirismo para a nossa cultura, definitivamente. Acredito que globalização e estrangeirismo seja um caso de eufemismo porque vem do país dominante da elite global. Duvida? Você escreve skate ou esqueite?

Não sou contra o estrangeirismo e nem a favor da lei de 2001 que condena seu uso.

Acho bonito chegar numa empresa dizendo que o Budget anual é de X% em relação ao anterior. Posso desta forma tirar uma Advantage e, caso o produto/serviço fique desafasado, podemos fazer um brainstorming sempre lembrando do B to C.

---------------------

Geraldão estava preparado para uma entrevista de emprego quando recebeu a ligação de sua aspirante a amor platônico, Peteca, desejando-lhe boa sorte.
Após 5 meses de desemprego, Geraldão queria voltar pra casa com um sorriso brilhante e dizer que agora poderia chegar numa das Casas Bahia e comprar sua TV de LCD 32' em suaves prestações para assistir Os Goonies em HD.

Após 20 minutos de espera a secretária pediu para que Geraldão entrasse na sala do diretor, apontando a direção com sua esferográfica Bic azul já gasta de tanto jogar jogo da velha na falta do que fazer, fazendo cara de quem condena o uso de terno amarelo-gema.

Cena 1
Boss: Sente-se, por favor.
Geraldão: Obrigado.
Boss: Experiência com sell in/push?
Geraldão: Claro, duas vezes por semana...mas tempero com bastante sal.

Tradução sell in/push: Convencer o cliente a comprar o produto.

Cena 2
Boss: Prefere algo mais intimista ou e-coaching?
Geraldão: E-coaching, óbvio...Algumas vezes a Peteca diz que tá com frio e eu a cubro com uma e-coaching que minha mãe fez. Ela costura como ninguém.

Tradução e-coaching: Treinamento eletrônico

Cena 3
Boss: Esta empresa é completamente Just in Time...
Geraldão: De inglês eu entendo! Cheguei sem atrasar!

Tradução just in time: baixa produção de estoque em relação aos pedidos do mercado.

Cena 4
Não poderia ser diferente...
Geraldão volta pra casa com seu terno amarelo-ovo e ainda recebe um mailing dizendo que as Casas Bahia está com promoção em tv's de LCD.

Fica pra próxima...não foi desta vez.

7 de jun de 2010

Francamente, sr. Português.


De acordo com recentes estudos diplomáticos de profundo conhecimento no que diz respeito aos bons samaritanos...me perdi nesta imensa frase! Retomando: Quando criança eu ouvia conceitos, frases ou palavras e criava algum significado que apenas EU achasse interessante.

Nunca me importei muito em ir atrás do real significado destes conceitos, frases ou palavras. Simplesmente achava que minhas criações eram muito mais interessantes e usuais na medida da realidade pessoal! Pode-se dizer que é uma tentativa de escapar da realidade, mas em minha infância não precisei disto...

Algum exemplo? Claro que tenho.
Da última vez que revelei algum "self-concept" de quando era criança, o cara ficou rindo e comentando durante alguns meses. Mas na boa...eu entendo!
Só para me defender...que culpa tenho eu que as palavras são tão parecidas? Eu sou um defensor da reforma ortográfica e tenho muitas observações construtivas como, por exemplo, os porquês.

Retomando: Estava eu com 8 anos de idade quando assistia TV numa tarde manhã de sábado. Normalmente com meu copo de leite, alguns biscoitos e meu pijama cheio de abacaxis pulando...sim...como se não bastasse o lençol de coração que minha mãe me deu, quando criança eu tinha um pijama de abacaxis felizes..Eis que, num instante meu mundo foi tomado por uma crise de auto-conceito quando ouvi um comercial dizendo que um evento na cidade tinha "entrada franca".

Neste instante imaginei que o comercial era muito instrutivo e claro na forma de dizer que a entrada do evento seria na saída para a cidade de Franca, cidade perto de Ribeirão Preto - minha cidade. Seguindo a lógica fica mais óbvio ainda...A entrada é franca pois fica em algum lugar da estrada que leva até a cidade de Franca! Ou seja, para você que mora em Franca seu endereço é sempre o mesmo - "Entrada Franca".

Ainda tive a capacidade de informar meu pai que o evento era indo pra Franca.
Reforma ortográfica já!

1 de jun de 2010

Luz, câmera, ação e...O Grinch.


Pois bem...
Agora está na moda este negócio de nostalgia.

Sempre quis entender qual a lógica que a Globo usa para escolher os filmes da Sessão da Tarde.
Como qualquer mortal brasileiro, os filmes fizeram parte da minha infância/adolescência e, enquanto estiver vivo, vai continuar a maldita vontade de assistir Sessão da Tarde pra sempre.

Alguns filmes que fizeram a tarde ficar muito mais legal nos anos 80 e 90:
1) O Rapto do Menino Dourado
2) OS Goonies
3) De Volta para o Futuro 1, 2 e 3
4) Bill & Ted
5) Os Garotos Perdidos
6) Falcão - O Campeão dos Campeões
7) Cegos, Surdos e Loucos
8) Edward Mãos de Tesoura
9) Elvira, a Rainha das Trevas
10) E todos os filmes que de alguma forma tem a palavra "Férias" no título

Claro que existem outros milhares e tão bons quanto!

O problema é quando se aproxima uma data festiva! É aí que eu tento entender a lógica da Sessão da Tarde. Sempre sempre e sempre, na semana das crianças só passam os filmes que tem animais inteligentes em busca dos seus donos perdidos e crianças que só fazem bagunça - O Pestinha. No Natal a coisa fica muito pior...começam a passar coisas de Natal com 2 semanas de antecedência. Parece loja de shopping!! Quando você se dá conta, está dando feliz dia das crianças e vendo enfeite de Natal, é assustador. Mas, voltando ao assunto, é muito pior Sessão da Tarde na semana de Natal...insistem furiosamente em reprisar O Grinch.

PAUSA: O Grinch - filme idiota e sem graça com o Jim Carrey. Se você gosta, não me critique mesmo porque eu não tive coragem de assistir mais que 5 minutos deste filme...segundo a lei dos mortais, não tenho moral para criticar.

Mas ainda assim, temos todas as semanas do ano para passar vontade. E reparem que mesmo nos dias de semana que calha algum feriado, não assistimos. Ficar adulto é muito estranho!

E eu achando que o legal é assistir filme cult.