30 de ago de 2010

E a música?

Por que existe funk? Não estou dizendo do ritmo originalmente feito fora do Brasil - que tem uma musicalidade genial. Estou falando do funk carioca, o batidão.

Não aceito em hipótese alguma alguém dizer que é música. Não aceito em hipótese alguma alguém dizer que é cultura e não aceito em hipótese alguma alguém dizer que pensa, talvez um dia, em comprar um CD ou DVD de um show ao vivo.

Esta porcaria só serve para aparecer em filme brasileiro quando o assunto é favela e pobreza, ou seja, 99% dos casos. E quando não tiver funk no cinema nacional, com certeza vai ter um funkeiro por trás das câmeras fazendo alguma cagada!

Se você é carioca e está lendo este post achando que o funk está sendo desmoralizado ou acha que funk é mais legal que outro ritmo pois agita a galera, foda-se. Não quero saber de você...tem um ícone com um "x" no canto superior direito desta tela. Clique lá!

Vamos a algumas comparações de letras - entre músicas de diferentes ritmos e esta praga do inferno que é funk (observem tamanho absurdo):

Love of my life
Artista/banda/grupo: Queen

Tradução:
"Quando eu ficar velho
Eu estarei lá do seu lado
Para lembrá-lo como eu ainda te amo
Eu ainda te amo"

Aquecimento do Passinho
Artista/banda/grupo: Mc Menorzinha

"Ta preocupada comigo, não fode. hey ( 16 x )"

----------------

Metade
Artista/banda/grupo: Oswaldo Montenegro

Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.

40 Anos de Comando Vermelho no Complexo do Lins
Artista/banda/grupo: Mc Orelha

"É quarenta anos de Comando Vermelho no Complexo do Lins, sem neurose
Esse é o bonde do Lindão, esse é o bonde do Lindão"

----------------

É de doer o coração que isso exista. É de dor qualquer alma. E nem usei exemplos de músicas e músicas que eu gosto que é pra não ter conversa!

Um basta. Precisamos disto.

----------------

"Rudy, você é ácido. Gosto dos seus posts e gostaria de saber quando tem novos posts." É fácil...siga no twitter: @rudycm

26 de ago de 2010

Sustentabilidade no recreio.

Quando criança acreditamos que tudo é uma maravilha, tudo é lindo e tudo é muito gostoso.

Lembro-me bem da idade..7 anos. Eu estava na primeira série e sempre ficava correndo de lá pra cá na escola quando estava no RECREIO. Oras...vamos ao significado da palavra RECREIO?

Segundo o Wikipédia: atividade recreativa ou de lazer.

Muito bem. O que faz uma criança de 7 anos no recreio? Ou pega a lancheira e come o pão com mortadela pra depois ficar arrotando escondido ou corre pra lá e pra cá até ficar fedendo a Cheetos Bola.

A verdade é que bem nesta época a minha escola estava com a bela idéia de formar cidadãos (para não dizer cidadões) preocupados com o futuro...quem diria hoje isso ganharia o nome de Sustentabilidade.

Fui chamado na diretoria certo dia, aos 7 anos de idade, pois seria uma espécie de monitor de limpeza por 1 semana. Sempre revezava...mas eu fui sorteado naquela semana para vestir um avental e ficar gentilmente pedindo para crianças porcas jogar o lixo no lixo e, caso não o fizesse, anotaria o nome na minha caderneta. Na real? Um dedo duro. Quem era monitor de limpeza nunca anotava os amigos e ficava com medo de anotar os meninos maus de até 10 anos - obviamente. Belo recreio...

O treinamento para ser monitor era chegar na diretora, que ficava se passando por criança jogando papel no chão, e convence-la de que aquilo era uma atitude errada e anotaria o nome dela para ter sua atenção chamada por esta ação errada. Muita vergonha ao lembrar disto!

Obrigado escola. Obrigado diretora. Só não entendo como ninguém anotou meu nome sendo que eu fedia mais que o lixo de tanto que ficava suado.
________

Quer saber quando tem história nova no blog?
Siga no twitter: @rudycm

24 de ago de 2010

Seja uma vítima!

Muito antes de qualquer situação embaraçosa acontecer a arte de curvar levemente a sobrancelha para se fazer de vítima é muito antiga. Quem nunca precisou?


OS CASADOS
Ela, gritando do quarto, se arruma para sair quando viu um "detalhe" na camisa dele:
- Amor, de quem é esta marca de batom na sua camisa?
Ele, com voz doce e harmoniosa enquanto espera sua amada para um jantar:
- Batom? Como assim? Só se for seu, minha vida...meu mundo...meu tudo!

Antes mesmo que alguém descubra, perca horas do seu dia em frente do espelho. Se você treinar bastante vai conseguir enganar até a polícia.

A RONDA POLICIAL
O Policial pede a CNH dela:
- Senhora, transitar em veículo automotor sem a utilização do cinto de segurança é infração grave. Sua CNH, por favor.
Ela, enquanto retira a CNH estufando o peito:
- Sr. Policial, não estou habituada...veja só meu caso...pode machucar se o cinto estiver muito apertado, num acha?

Vale de tudo, até apelar para o senso de humor.

O CHOCOLATE
O caixa, aguardando a quantia em dinheiro para completar o preço da compra:
- Senhor, faltam 10 centavos. São 10 reais e 10 centavos.
Ele, fazendo cara de quem treinou dias para utilizar esta técnica:
- Sério? 10 centavos? Achei estivesse brincando!

Tente e invente. Todos podem utilizar esta técnica. Se der certo, ótimo.
Caso contrário, faça cara de quem não entendeu, respire e utilize esta pausa de 3 segundos para pensar numa resposta melhor:

...
- O quê? Como assim? Esta cor de batom eu não tenho!
Ele respirou e utilizou muito bem os três segundos:
- Então por que você está usando batom da mesma cor que a Sandrinha?

--------------

Rudy, quando tiver postagem nova me avisa pelo twitter?
Claro que sim!
Twitter: @rudycm

17 de ago de 2010

O Requinte - Strogonoff

Intrigado pelas forças ocultas que agem para intervir em nossas vidas, resolvi tornar público este fato.

Alguns sabem e outros nem tanto, muitos se quer imaginam, mas vou frequentemente à Campinas para ver a minha adorada, ilustre e amada namorada.

Pausa: Preciso tomar cuidado nesta citação pois fiquei sabendo que ela lê tudo isso.

Como todo bom casal, resolvemos sair um dia ou outro para comer fora, experimentar a culinária e beber qualquer coisa que você leitor fique impossibilitado de fazer a famosa piadinha 'não beba água em Campinas'.

Quando penso em opções para comer, logo são elas:
1º Strogonoff
2º Carne
3º Strogonoff
4º Vaca Atolada
5º Strogonoff
6º Pizza

Bom, depois que ela decide qualquer outra coisa que não seja as opções acima, começa meu trabalho de controle da mente feminina. Tento ao máximo induzi-la ao prazer gastronômico da minha opinião. Naturalmente, como em qualquer situação, ela sempre ganha! Mas, fato é que, uma vez fomos ao Shopping de Campinas para almoçar.

Pedi o meu strogonoff em um restaurante e esperei...como um lobo faminto.

Alguns minutos e lá vou eu buscar meu prato com o maior prazer da vida: O STROGONOFF. Alguns minutos e lá vai ela pegar o seu prato feminino: QUALQUER COISA GRELHADA COM SALADA.

Sentei, meu estômago roncou de fome, dei um sorrisinho pra minha Adorada e dei a primeira garfada. Pensei: "Tudo bem, este gosto doce é porque o cozinheiro derrubou um pouquinho de açúcar"

Segunda garfada: "Tudo bem, este gosto doce é porque eu devia estar com muita fome.
Terceira garfada: "Tudo bem, eu amo minha namorada."
Quarta garfada: "Strogonoff é sobremesa?"
Quinta garfada: "É...o molho tá doce mesmo. Que tal o velho e bom arroz com feijão?"

Moral da história: Não gosto de strogonoff doce.

11 de ago de 2010

Profissões: Cabeleireiro

Quando você acorda e seu cabelo não entende para qual lado deve ficar você está com um problema. Um não...vários. O que seria de uma pessoa sem um cabelo organizado, bonito e elegante?

Das mais variadas formas, texturas e cores, convivemos (às vezes) com a "Revolta Capilar". Deste jeito fica difícil manter-se o bom humor, não é mesmo?

Rudy Faz, Rudy mostra orgulhosamente apresenta >> Da série PROFISSÕES >> O CABELEIREIRO!

É comprovado que é uma questão de gosto. Tanto você pode dizer Cabeleireiro ou CabeLeLeiro. Ambas as palavras referem-se a "cabelo" como prefixo. Ou seja, se você ligar em algum salão e ouvir um legítimo: "CabeLeLeiro Cores e Formas, bom dia!", não se preocupe. Você ligou para o lugar certo...talvez não tenham exigido ensino fundamental! Mas esta é outra história.

Fato é, comprovadamente, que os psicólogos podem perder sua colocação profissional para os cabeleireiros. Todo mundo conversa sobre as coisas mais absurdas e variadas com o seu profissional! Com uma diferença básica...no cabeleireiro você não chora, é atendido sempre com o mesmo sorriso, é mais barato e ainda sai melhor do que entrou. Ou seja, quando estiver com problemas procure o seu cabeleireiro.

----------

Andei reparando que a onda não é fazer onda com o cabelo, é deixa-lo livre e bagunçado. Assim você será descolado, legalzão e pau pra toda obra. Baseado em estilos, vamos agora apresentar os típicos cortes existentes e suas tribos:

O MÚSICO: Pra quê lavar? Vai tocar no dia seguinte mesmo uai...

A CDF: Levanta 1 hora antes da 1 hora que é necessário para se arrumar, liga a chapinha e começa. Se depois de 45 minutos o ar estiver com cheiro de queimado é porque a operação foi um sucesso.

O EMO: Escova? Pente? Não não...gel. Joga pra frente e fica com uma cobertura capilar frontal na testa. Se for à praia queima errado, certeza!

A CHATA: Não pode tocar no cabelo. Água? Só se for de brincadeira. Cor natural? Só se for nas fotos antigas. Depoimento de uma Chata capilar: "Se eu saio em dia de chuva? Nem pensar!".

----------

Agora pense...
Com tanta gente louca no mundo, gostos variados e pessoas com bipolaridade, você acha fácil ser um cabeleireiro? É, talvez seja mais fácil ser um cabeLeLeiro.

8 de ago de 2010

A vuvuzela oriental

Todos estavam preparados para um final de semana entre amigos, dando risada e fazendo coisas que qualquer mãe pensaria que o filho era um marginal!

Naquela bela manhã partimos em direção à Serra Negra - SP. Eu e mais 9 amigos. Sim, era gente pra caramba! Mas a parte engraçada é essa...quanto mais gente, pior fica pro hotel que hospeda!

Malas prontas, combustível na tanque e vamos que vamos!

Pois bem, logo na ida um amigo (vou apelida-lo de godriRO) teve uma pequena discussão com uma menina que estava no mesmo carro (vou apelida-la de naBRU). Segundo ela, o godriRO estava brincando com o carro e quase bateu durante o percurso. godriRO, assombrado por seu passado de sério acidente de carro, ficou nervoso mas disse que não estava brincando. Tínhamos passado por uma "fechada" de um caminhão, afinal, ninguém brincaria com coisa tão séria.

Em algumas paradas ele vinha reclamando dela e eu só apaziguando. Eu dizia para relevar. Estávamos ali para nos divertir. Ele engoliu seco e continuou.

Chegamos no hotel. O dono me viu entrando de gorro na cabeça e trocou as reservas...de imediato colocou nossos quartos bem no fundo. Claro, ele percebeu que aquela turminha ia fazer estrago

Como todo pobre de carteirinha, fizemos o maior esforço pra chegar antes das 10h e ter direito a tomar o café da manhã. Descarreguei as malas, espriguicei gostoso, chamei todos e lá fomos em direção ao café da manhã. Logo vi que o godriRO e a naBRU estavam completamente distantes um do outro. Isso fez com que todos já ficassem com medo de alguma estúpida reação. Menos eu e meu outro amigo que viajara no mesmo carro que eu.

Quando entramos no refeitório para o tão aguardado café da manhã com godriRO e naBRU distantes, já dei um toque no meu amigo pra que ele esperasse o godriRO apelar...dito e feito! Não sei o porquê, mas a naBRU tocou no assunto quando todos estavam tentando relaxar ali no refeitório. Neste perfeito micromilésimo, olhei pro godriRO e ele estava com seus asiáticos olhos vermelhos, respiração ofegante e soltou um dos gritos mais altos que eu já escutei na vida. Era algo impressionante! As paredes estremeceram, o dono do hotel teve a certeza de que os quartos do fundo tinha sido uma sacada de mestre!

Ah sim, foi uma manhã inesquecível. Todos ficaram no clima perfeito. Obrigado godriRO e naBRU.

Bom, eu e meu amigo ficamos rindo. Até hoje.

------

Receba um tweet com as atualizações do Rudy Faz, Rudy Mostra - é só seguir @rudycm

3 de ago de 2010

Do lixo não quero nada.

Quem já passou por situações onde as lembranças deixadas por tal acontecimento ficassem assombrando até os dias de hoje?

Comigo foi assim que aconteceu:
Santa Catarina, Praia, 1995, pele branca e cabelo raspado na máquina 3.

Animado pelo fato de estar na praia com a família, quem diria que hospedada no andar de cima do apartamento estaria uma velha amiga de infância? Isso sim que é uma grande coincidência. Este tipo de coisa me deixa pensando que algo está para acontecer!

Num fim de tarde com muito sol, estava caminhando na areia e encontrei essa minha amiga de infância (isso porque eu estava com 12 anos!). Cumprimentei, conversamos e ela me apresentou sua prima. De início achamos engraçado o fato de estarmos no mesmo local, na mesma hora e etc. Desde então, todos os dias estávamos juntos e nos divertindo.

Não de repente, comecei a ficar interessado pela prima da minha amiga. E ela em mim. Como não poderia pagar um jantar e nem convida-la para andar de carro, combinei de "caminhar" sem rumo pela cidade...afinal, cidade pequena e praiana.
Como eu faria pra ficar a sós com ela? Foi a única idéia que tive.

No dia seguinte estava eu muito tenso e fazendo um rascunho dos assuntos para puxar! Como fiquei pensando e bolando idéias e idéias pra que meus planos fossem um sucesso, acabei atrasando e ela desceu até a porta do meu apartamento e apertou a campainha. Na hora pensei em sair correndo antes que meus pais vissem e pronto...tudo seria um sucesso. Mas sempre tem um "mas"!

Abri, sorri pra ela e quando estava fechando a porta meu pai surge da sala e diz (com estas palavras exatamente): "Rudy, aproveita que você está descendo e leva o lixo".

Meu mundo foi por água abaixo! Eu ali tentando fazer algo construtivo para a minha vida amorosa e meu pai pedindo pra descer o lixo! Tinha que ser nesta hora? Porra!

E minha mãe fica sem entender porque que eu odeio levar o lixo pra fora. Vai que eu encontro minha namorada no meio do caminho!

----

Rudy faz, Rudy mostra no twitter. Siga só pra eu me achar importante: @rudycm