30 de mai de 2010

Amor de mãe


Quando se tem 15 anos o maior sonho é ser independente e contar com o dinheiro dos pais! Ou seja, dependentes total...

Mesmo assim o desafio para fazer tudo o que puder e mostrar seu poder é válido.
Época bem interessante pois algumas coisas vão contra a nossa vontade.
Exemplos:
1) Motel: Sem barba ninguém passa pela portaria;
2) CNH: Você acha que dirigir é fácil e o carro do seu pai está sempre cheio de combustível;
3) Sexo: Fala que fez mas nem tem idéia do que é;
4) Cinema: Se o pai não liberar verba tua gatinha só vai ficar no sorvete;
5) Parque de diversões: Brinquedos com piscina de bolinha não comporta seu tamanho;
6) Aniversário dos amigos: Enche o copo de guaraná e finge que é cerveja.
7) Viagem: Você arruma sua mala, mas sua mãe dá uma ajudinha...
Pois é aí que mora o perigo!

Com 15 anos eu ia pra uma chácara com meus amigos curtir o final de semana com muita coca, carne semi-crua (ninguém sabia acender churrasqueira), piscina suja, bola de futebol vazia e várias histórias de espírito para a noite ficar assustadora. Passávamos o dia todo fazendo tudo o se pode com 15 anos. Diversão total...só ia amigAs quando o pai de alguém ficasse responsável e de olho no local..até aí tudo bem! Nada grave.

Acontece que eu era um menino de 15 que não sabia muito o que levar para arrumar minha cama...as roupas não eram problema. Eu mesmo arrumava. Sendo assim, certo dia pedi para minha mãe colocar roupa de cama na mala e ela o fez com todo amor e carinho.

Cheguei na chácara e baguncei o dia inteiro...quando deu a hora de dormir fomos todos arrumar as camas para dormir. Normal...todo mundo pegou lençol e começou a arrumar. Mas quando abri minha mala e percebi o lençol que minha mãe escolheu, quis me beliscar e acreditar que tudo aquilo era um sonho...eu entrei em desespero. Meu coração começou a bater freneticamente como se quisesse sair correndo pela estrada...coitado! Eu estava longe de casa!! O lençol que minha mãe colocou ia abalar totalmente a figura máscula que eu mantinha frente aos meus 15 anos!! Não tinha escolha...era pegar o lençol e acreditar que ninguém perceberia que o lençol era cheio de coraçõezinhos coloridos!!! Eu, homem, 15 anos e um lençol de coraçõezinhos coloridos no meio dos amigos. É, não teve jeito. Assim que arrumei minha cama todos começaram a rir e eu, inutilmente, comecei a colocar a culpa na minha mãe!

O que adiantou? Nada, só piorou! Alguns anos e todos esqueceram..hoje só compro lençol com desenho do Jaspion...é mais adulto.

26 de mai de 2010

Freud explica!


Todos temos questões existenciais, não é mesmo?

Durante muito tempo minha turma foi formada por psicólogos e isso me rendeu algumas informações interessantes. Sempre achei a psicologia fascinante.

Baseados em fatos reais e estranhos...

Eu tenho um dom especial e agradeço muito por isso...eu presto atenção em coisas corriqueiras e consigo dar uma "visão" diferente mesmo tratando-se de simplicidade.

Onde moro é quente e quando cai a temperatura todos ficam meio sem rumo quando isso acontece. O costume aqui é ficar de bermuda, camiseta e chinelo...bem a vontade mesmo. Nada de roupas quentes e coisas que nos façam parecer um francês friorentinho.

Dias atrás levei minha mãe a uma loja de pijamas e percebi algo fascinante!! Algo que talvez a psicologia possa explicar..
Notei que tinha um pijama masculino com um acessório que não pode faltar! Afinal, se você vai dormir precisa estar preparado, concorda? É...eu e minha mania de ficar reparando coisas que ninguém dá importância.

O pijama tinha BOLSO no peito igual camisa social!

Mas deve ter uma lógica...
Você toma banho, coloca o pijama e vai que resolve ir ao mercado...onde colocar o dinheiro? No bolso do pijama.
Você está em casa e um mendigo passa pedindo esmola...onde tem moeda? No bolso do pijama.
Você mata os pernilongos para dormir em paz e onde joga-los? No bolso do pijama.

Alguém sabe explicar??? Talvez Freud.

22 de mai de 2010

Quer ser meu amigo?


Relacionamento. Quem nunca teve problema?
Vou tentar encontrar a solução.

Poucos param para pensar que relacionamento significa comunicação entre indivíduos. Se há concordância de ambas as partes o relacionamento é bom. Caso contrário, se um não gosta, não há comunicação. Ou seja, relacionamento fadado ao insucesso...temporário ou até mesmo permanente. Para um bom relacionamento é necessário que as partes estejam interessadas em pelo menos dar oportunidade de conhecer o outro.

Para isso, vamos ao "manual de boas condutas para uma boa relação".
Alguns perguntam: Mas isso vende? Ah, meu caro...se vendesse o autor estaria rico!

Regras para sua chance de sucesso ficar ainda mais acentuada.
1) Nada de calça acima do umbigo (ou imbigo...como preferir!)
2) Nada de havaianas encardidas com o desenho dos dedos na sola
3) Nada de ficar falando com os olhos fechados
4) Nada de esquecer o nome da pessoa no meio da conversa

O Cutucão
Você está no bar bebendo sua biritinha tranquilamente quando o colega ao lado, em pleno ato de início de relação, começa a cutucar teu braço enquanto a bebida ainda está passando pela garganta. Começou bem! Agora só falta ele falar que estava coçando a bunda antes de te chamar!

O Tecnológico
Enquanto você luta para ter uma conversa agradável a pessoa enfia a mão no bolso e tira aquele celular cheio de botões! Neste momento, enquanto você pergunta coisas básicas para uma amizade futura, seu colega começa a colocar o fone de ouvido para ouvir Lucas e Luan, passar um torpedo pra namorada e entrar no msn mobile enquanto tenta responder suas questões.

O Legalzão
O legalzão pergunta qualquer coisa idiota e morre de rir. Exemplo: - Onde você trabalha?HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA...
Depois da sua resposta ele ainda comenta: - Conheço sua empresa! HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Enfim, são tantas as chances de encontrar pessoas legais e descoladas...caso não aconteça, não se esqueça: Manual de boas condutas para uma boa relação.

19 de mai de 2010

Não...estou só olhando!

Escove os dentes, passe gel no cabelo e compre um relógio bacana. Se quiser completar um look sensual, coloque uma camiseta estampada de rosa e coloque aquele seu velho sapatênis pra agitar na night.

-Mas...mas??! Que fizeram com o meu sapatênis? Está imundo!
Pois é Geraldão..tá na hora de comprar!

Agora é hora enfrentar o shopping e se safar do VENDEDOR DE SAPATÊNIS.
Vendedor de sapatênis: Espécie conhecida como Sapatônis Venderis, facilmente encontrada em shoppings e estabelecimentos comerciais.
Principais características: Onipresença e Onisciência. Sim, é um Deus.

Geraldão chega no shopping com pinta de galã e passa direto pela primeira loja. Mas é óbvio né...quem para na primeira e compra? O orgulho em primeiro lugar. Vão pensar que o Geraldão está desesperado e não é nada disso! Ele tem 15 minutos para comprar seu lindo sapatênis, chegar na balada e ainda precisa buscar a Peteca (sua aspirante a paixonite aguda).

Geraldão pensou alto quando já estava na vitrine da terceira loja:
- Que da horraaa! Aquele verde-musgo com listras azuis é perfeito.
- Quer experimentar? - Disse o vendedor saindo subitamente por de trás de uma pilha pequena de sandálias femininas. (Onipresença)
- Não...estou só olhando! - Geraldão queria mesmo era continuar olhando pois ainda tinha seus 11 minutos restantes.
- Procura por algo específico? Eu posso ajudar!
- Não, não...estou só olhando mesmo. - Os vendedores de sapatênis num percebem que esta resposta-padrão é para nos deixar em paz? Oras..quando a gente escolhe a gente fala, caramba.

Geraldão continuou sua investida no momento "vitrine minha vida" e:
- Eu já busquei os modelos que você gostou! - Esses vendedores de sapatênis viu.. (Onisciência)
- Mas...mas...tá bom vai. - É né..fazer o quê?! Eles vencem uma hora por serviço ou outra pelo cansaço.

Geraldão colocou o sapatênis no pé e inspirou como se tivesse tomado um tiro no peito. O sapatênis era menor que seu número...era 40 e Geraldão com 1,76 m de altura, calça 43.

- Sr. Vendedor, está apertado! Num vai dar certo..outro dia eu volto com mais calma.
- VAI LACEAR!

Lógico! O pé num é dele né.

17 de mai de 2010

Ensaio sobre a sociabilização

O maior destaque que alguém pode ter frente ao mundo é ser único. A tática mais utilizada é: Faça parecer que ninguém vai conseguir chegar perto do seu conhecimento e faça com que nenhum obstáculo seja grande o suficiente para acabar com sua coragem. Sorria e acene (como os pinguins de Madagascar).

Estou falando de sociabilização.
É coisa difícil e não existe curso para tal. Há várias variáveis que impedem o sucesso daqueles que procuram por novos amigos, emprego e um affair nas badaladas noites de frio com chocolate quente!

Na hora da sociabilização vários sentimentos e ações tomam conta do sujeito: Sorriso amarelo, suor nas axilas, mãos suadas, cabelo desarrumado, sorriso de canto, olhar perdido, falta de assunto etc.
Agora, se você conhece gente que adora o processo de sociabilização e ainda faz com que este momento, como no início deste texto, pareça coisa simples e corriqueira: Citar o nome de algum jornalista underground, falar que ano de mil novecentos e alguma coisa num sei quem fez num sei o que lá, dizer que computador é coisa de nerd, condicionar o pensamento a sempre dizer que ou PSDB ou PT não são bons e, o mais importante de todos ---> Dizer que SARAMAGO é um Deus só porque leu "Ensaio sobre a Cegueira". Isto quando não leu e só assistiu o longa.

É tempo de enxergar pessoas únicas. Aquelas que se destacam nem sempre são as melhores...as aparências enganam. Ah é! O mundo vive de aparências! Tá bom...eu leio Saramago.

10 de mai de 2010

Com quem será?


Pois bem...
Agora está na moda este negócio de networking.

Um empresário de sucesso, uma grande organização e o seu tio favorito não são nada sem uma boa rede de relacionamentos - o NETWORKING. Esse tal termo é responsável por muitos momentos da sua vida. São diversas formas de "trabalhar" esta sua rede social: reuniões, confraternizações, happy hour e por aí vai!

Baseado em fatos reais...

Meu aniversário! Que delícia! É festa!
Ainda não me importava com o fato do meu aniversário geralmente coincidir com o carnaval. Aos 9 anos de idade quem iria pro sambódromo? Então está tudo certo! Minha festa seria um sucesso...amigos correndo pra lá e pra cá, suor saindo pelo umbigo, brigadeiro no meio dos dentes, coca-cola no chão e vinil do Sérgio Mallandro no som! Maior sucesso, né? Esse era o meu desejo...

Resolvi com meu pais que queria uma festa de aniversário para comemorar meu 9º ano de vida e eles abraçaram a causa!
Feito todos os preparativos, fiquei responsável pela entrega dos convites. Afinal, meu networking na 3ª série era digno de um aspirante a Roberto Justus. Claro que era! Eu gostava da Marina, sorria para a Juliana, jogava bola com o Paulo e ainda sobrava tempo para comer cachorro-quente com a galera da sala ao lado. Era uma vida social muito agitada na época!
Cheguei com dias de antecedência e distribuí os convites com o tema Simpsons. Lembro até hoje do desenho da capa do convite...

Chegou o grande dia!
Muita tensão no ar. Tinha que estar tudo em sincronia...pessoa para atender a porta, outra para servir coca e assim vai. Coisa organizada!
Quem não entende meia hora de atraso? Não era nada...era só esperar mais um pouco!
Que não entende 45 minutos de atraso? Claro, claro...é chique!
Quem não entende 1 hora de atraso? É, eu já estava perdendo a esperança quando tocou a campainha. Fui correndo atender e fiquei me perguntando se eu tinha convidado o carteiro...mas acho que não. Esperei mais.
Tocou novamente e era o Paulo. Meu melhor amigo! Presente dado, brigadeiro oferecido e chegou o Wesley. Presente dado e coca servida! Estava funcionando!
E funcionou... até o segundo convidado. Depois não apareceu mais uma alma.
Toda aquela aquela expectativa de ver minha cama coberta de presentes foi por água abaixo...

Entenderam o que é Networking? Conhecer bastante gente e descobrir que só duas pessoas são boas!

Meu primeiro contato com o termo Networking não foi lá uma coisa muito agradável!
E eu achando que o que faz sucesso é distribuir convite dos Simpsons, não é justo.

----------------------------------

Em referência ao post "Este carro é flex?" muita gente pediu maiores informações, fotos e vídeos sobre o Opala do meu amigo. O nome dele é Rodrigo. Sim, meu amigo chama-se Rodrigo, o Opala chama-se Opala mesmo.

Link 1

Link 2

Link 3

4 de mai de 2010

Bom dia, boa tarde e boa noite.


-Oi! Que saudade!!
- É verdade. Quanto tempo!
(continua)
-------------

E assim que duas pessoas se reencontram começa um bombardeio de dúvidas e costumes. Automaticamente sua mente preocupa-se apenas em acertar o primeiro nome, saber de onde veio e qual a função da pessoa na sua vida. Fracasso! Não lembrou. O que fazer?

É aí que entra o "manual de boas condutas para cumprimentar estranhos".

Os gestos e palavras para cumprimentar uma pessoa variam de cultura para cultura. Existem os mais variados atos, como: beijo, aperto de mão, abraço, piscadinha com o olho esquerdo (para quem consegue), sorriso amarelo, empinada de nariz, arrumada o topete, coçadinha na barba, entre outros.
Onde entra o "manual de boas condutas para cumprimentar estranhos"? Fácil! Você não sabe o que a pessoa vai fazer ou dizer. Ótimo.

Regra: Só tenha amigo destro.
Se depois de muito tempo você reencontrar aquele seu amigo de longa data e parar para um cumprimento de mão ele pode levantar a mão esquerda e vc, gentilmente, a mão direita. Oras pois...depois a culpa fica para os portugueses.

Regra: Só acene em distâncias menores que 3 metros
Na multidão você avistou aquele seu antigo amor que ainda faz o ritmo do seu coração acelerar. Respire, dê um tapa no topete, faça um olhar 43 e gesticule um breve tchau com a mão. Simples...a pessoa até viu alguém acenando. Mas pra quem que foi? Numa distância maior que três metros numa multidão o alvo pode ser qualquer um.

Regra: Só beije paulistano.
Você quer cumprimentar com beijo e ficar "no ar" se a pessoa está acostumada com um beijo só? Esta regra é importante. Esta mania de um beijo só é coisa de São Paulo. É o jeito que menos deixa gente beijando o vento na hora do cumprimento.
Três para casar? Preciso comentar?

Regra: Faça musculação
Eu não suporto gente que tem mão de frango. Quando for cumprimentar com as mãos, aperte. Não precisa quebrar os ossos...mas aperte! Demonstra firmeza.
Quando alguém me cumprimenta com mão mole, viro para o lado e desejo o mal instantaneamente. É inevitável. Quer brincar de boneca vai pra casa do caralh*.

Regra: Não dê uma de Paulo Maluf
É simples. Quando não lembrar o nome de pessoa utilize jargões do momento, como: Amigo, Fera, Chegado...O Paulo Maluf é conhecido por sua excelente memória. Mas deixe isso pra ele! Coloque-se no seu devido lugar.

Essas são algumas regras do manual. São claras, objetivas e prioriza o bom andamento de uma hora tão complexa que é o cumprimento.

--------------

(continuação)
- Bom te reencontrar! Como vai sua filha?
- Não tenho filha.